Pela permanência definitiva das comunidades tradicionais em seus locais de moradia, pelo reconhecimento de seu papel fundamental na preservação ambiental: todo apoio à comunidade quilombola, sitiantes da Serra da Tiririca, caiçaras do Morro das Andorinhas, Morro da Peça/Duna Grande, pescadores artesanais da Praia de Itaipu, Sossego e Piratininga, bem como comunidades tradicionais do Forte Imbuhy e Sapê/Fazendinha;

Pelo fim do genocídio da juventude negra e combate a toda violência praticada contra os trabalhadores nas favelas e comunidades da cidade;

Pela proteção efetiva do Parque Estadual da Serra da Tiririca (PESET) e todo o seu entorno;

Pela elaboração de um Plano Municipal de Gerenciamento Costeiro, que proteja os usos múltiplos do território marítimo e das áreas costeiras em todo o município – da Ilha da Conceição a Itacoatiara;

Pela preservação da Praia do Sossego, com valorização do papel da família de pescadores tradicionais na proteção ambiental, proibição de loteamentos no local e revitalização das áreas agredidas;

Pela realização de estudos visando a conservação mais adequada do calçadão da Praia de Piratininga, garantindo-se o bem estar dos moradores, a segurança dos pedestres e banhistas; Pela instalação de Usinas de Reciclagem de Lixo em Niterói, gerando oportunidades de trabalho e reduzindo o descarte de lixo nos aterros sanitários do município;

Pela instalação de Usinas de Compostagem em Niterói, para transformação da matéria orgânica, hoje inadequadamente descartada em aterros sanitários, em fertilizante natural;

Pela instalação de uma Usina de Reciclagem de Entulho para produção de paralelepípedos e bloquetes a partir de resíduos da construção civil, hoje inadequadamente descartados no ambiente;

Pela priorização do calçamento da Região Oceânica com paralelepípedos e bloquetes como alternativa ao asfalto, contribuindo com a permeabilidade do solo, o escoamento das águas, e a mitigação de uma das causas do aquecimento global;

Pela implantação de um novo modelo público de gestão ambiental municipal, que garanta a participação democrática e qualificada da população de todo o município;

Pelo levantamento e proteção das fontes d’água e corpos hídricos do município;

Pela regulamentação do direito à água através da utilização de poços particulares, privilegiando-se o consumo pessoal em detrimento do industrial;

Pelo fim da tarifa mínima e progressiva de cobrança pelo consumo de água, da atual taxa de esgotos, e sua substituição por uma tarifa socioambiental, orientada pela preservação da água como bem de uso comum do povo;

Pela regularização fundiária de todas as famílias sem título de propriedade e retomada de áreas sem função social para construção de novas habitações populares;

Pela revisão da prorrogação da concessão – feita sem licitação– à Águas de Niterói;

Pela valorização e investimento em educação pública em todos os níveis de ensino;

Pela implantação e valorização de conselhos municipais e espaços de participação democrática e qualificada na gestão da educação pública municipal;

Pela realização de seminários permanentes sobre a gestão da educação pública municipal, envolvendo a comunidade escolar e os profissionais da educação;

Expansão da rede municipal de educação, dobrando o número de matrículas, prioritariamente na educação infantil e disponibilizando horário integral em toda a rede;

Por Creches Municipais e Educação Infantil em tempo integral, que ofereçam atividades culturais, esportivas e de lazer de modo integrado ao ensino-aprendizagem;

Pela valorização da história da cidade e de suas comunidades tradicionais no currículo escolar do município;

Pelo reconhecimento e ampliação do ensino da cultura afro descendente e indígena, com realização de aulas de capoeira e rodas de jongo nas escolas municipais;

Pela implantação de um Programa de Agricultura Urbana, apoiando a implantação de hortas comunitárias, viveiros florestais nas áreas mais carentes da cidade;

Pela democratização da gestão do Fundo Municipal de Cultura, e criação de selos fonográficos, editoriais, e de áudio-visual, com valorização dos artistas da cidade;

Pela criação de espaços públicos de cultura, esporte e lazer em toda a Região Oceânica e na Zona Norte da cidade;

Pela realização de Feiras de Economia Solidária, valorizando e divulgando o importante artesanato local, bem como de Feiras Orgânicas, em toda a cidade;

Por uma gestão efetiva do espaço urbano, que atenda à função social e garanta a implementação dos instrumentos do Estatuto da Cidade e limitação ao crescimento urbano desordenado em nossa cidade;

Pela revisão do Plano Diretor, elaboração dos Planos Urbanísticos (PURs) de Pendotiba e Região Leste e revisão dos Planos Urbanísticos existentes, com participação democrática e qualificada da população de todo o município;

Pela elaboração de Plano Local de Habitação de Interesse Social, que assegure a regularização fundiária de famílias desprovidas do título de propriedade sobre suas moradias e habitação popular para os milhares de desabrigados de Niterói;

Pelo aprimoramento do Código Municipal de Obras, que assegure a adaptação das novas construções às exigências ambientais e urbanísticas, valorizando-se a utilização racional de recursos naturais como luz solar, o aproveitamento de águas pluviais etc.;

Pela implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) na ligação Região Oceânica/Centro através do Túnel Charitas-Cafubá, e posterior extensão deste sistema através do principais corredores viários para todo o município;

Pelo fim do monopólio das empresas de transporte, em benefício da eficiência, pontualidade, rapidez, conforto e segurança no transporte público, tudo isso a preços módicos;

Pela valorização do transporte alternativo, com implantação de ciclovias de verdade, com a devida separação e proteção em relação às faixas de rolamento de automóveis;

Pela valorização e investimento na saúde pública, e implantação de uma rede municipal de assistência social;

Pelo fortalecimento do Programa Médico de Família – política de Estado estruturante, essencial à organização da atenção básica no município, porta de entrada preferencial para o Sistema Único de Saúde (SUS);

 Pela implantação de equipes de Saúde Bucal em todos os módulos do Programa Médico de Família;

Enfrentamento das drogas com uma questão política de saúde pública e não como caso de polícia, com a ampliação dos CAPSad (Centro de Atenção Psicossocial para usuários de Álcool e Drogas), com foco nos direitos dos usuários, com acolhimento e cuidado profissional pautado na política de redução de danos e na reabilitação psicossocial dos usuários;

Criação de uma Ouvidoria Municipal de Saúde e implantação do Disque Saúde como um canal de comunicação direta com os usuários, por onde estes tirem dúvidas e façam denúncias de irregularidades no sistema;

Pela instrumentalização do Hospital Municipal Mário Monteiro, a fim de que este se estabeleça como um hospital de referência para o atendimento à população da Região Oceânica, não apenas um serviço de emergência;

Criação de um programa de formação para a saúde da mulher, voltado tanto para temas como o planejamento familiar, gravidez, prevenção de DST, quanto para os profissionais municipais de saúde;

Pelo controle de zoonoses e atenção aos animais, em especial de rua, com implantação de programa público de castrações e controle de natalidade anima;

Pela criação do Plano Municipal de Saneamento e revisão do contrato com Águas de Niterói, contribuindo para a despoluição e realização de obras urgentes de drenagem;

Pela revisão do Plano Diretor e de todos os Planos Urbanísticos com participação democrática e qualificada da população e transparência já nas obras da TransOceânica.